×

MILITARES | Bolsonaro baixou artificialmente gastos com previdência militar pra esconder rombo, diz TCU

Auditoria do Tribunal de Contas da União afirma que o governo federal inflou gastos com regime previdenciário dos servidores civis enquanto subavaliou gastos do regime militar.

quarta-feira 16 de junho | Edição do dia

Foto: REUTERS

Segundo auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), divulgado nesta quarta-feira (16) pela Folha de S. Paulo, o governo Bolsonaro teria subestimado as despesas com a previdência dos militares minimizando eventual rombo no orçamento, e supervalorizou os gastos com servidores civis da União, onde afirmava que gastaria mais do que na realidade.

O governo avaliou em R$ 45,5 bilhões o passivo atuarial do regime dos militares, deixando de lado gastos como reajustes recentes de vencimentos das Forças Armadas. Enquanto isso, o governo teria inflado as despesa do regime dos servidores civis, que é o Regime Próprio de Previdência Social, em R$ 49,2 bilhões.

Tentando esconder o privilégio dos militares, Bolsonaro escancara as suas prioridades na pandemia, no momento em que a maioria da população se enfrenta com o vírus, o desemprego e a fome, garante regalias as cúpulas militares enquanto reserva ataques a classe trabalhadora, com privatizações e reformas.

Pode te interessar: Previdência de militares pode custar 700 bi, mas alvo do governo são os servidores




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias