Gênero e sexualidade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Manifestação de mulheres contra o feminicídio é alvo de tiros policiais em Paraty

A mobilização de mulheres contra o feminicídio em Paraty, no Rio de Janeiro, aconteceu ontem (10) e foi encerrada brutalmente por um policial armado que atirou na manifestação.

terça-feira 11 de maio| Edição do dia

Imagem: Reprodução/G1

Aproximadamente 50 pessoas participavam do protesto contra o feminicídio. Uma das reivindicações da manifestantes é a criação de um Observatório do Feminicídio em Paraty.

Quando o ato estava em frente a delegacia, um policial saiu com um fuzil na mão e deu dois tiros no chão. Segundo uma testemunha, entrevistada pelo G1: "Algumas foram colar cartazes na frente do vidro da polícia. E de repente sai de dentro um policial com um fuzil na mão (sem uniforme e sem máscara) que deu dois tiros no chão! Do lado de mulheres e crianças que protestavam pacificamente!"

Ela ainda disse que estavam "pedindo o fim da violência contra as mulheres" e o que receberam foi "mais violência da polícia".

No mês passado, foram divulgados dados pela prefeitura do Rio de Janeiro que revelaram que uma mulher é estuprada a cada 6 horas na capital carioca e uma mulher é morta a cada menos 3,8 dias.

Já internacionalmente, o Brasil é o quinto país que mais mata violentamente mulheres. A luta contra o feminicídio não só é legítima como necessária frente as condições precárias e repressoras que a maioria das mulheres brasileiras se encontram.




Tópicos relacionados

Violência   /    Brutalidade policial   /    mulher trabalhadora   /    Mulheres Contra Bolsonaro   /    Mulheres   /    Feminicídio   /    Machismo   /    Mulher   /    Rio de Janeiro   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar